Fomo, uma patologia dos anos 10

Há um ano eu li, rapidinho, na própria loja, um fanzine com desenhos que contavam a vida do Freddie Mercury. Não me lembro de muita coisa, mas dois fatos ficaram na minha cabeça. Ele deixou uma parte significativa da herança para o próprio chef (o zine dizia: “Isn’t it cool? Having your own private chef?”. E não é?). E o Queen foi a primeira banda a tocar em estádios na América do Sul. Juro que isso estava escrito como se fosse uma prova da importância da banda. Fazer shows em lugares recônditos, me disse um amigo publicitário, é sinal de sucesso. Em 1985, um estádio brasileiro era um palco exótico. Hoje é carne de vaca.

Antes do Plano Real, os shows realmente bacanas eram raríssimos. Depois de 94, quando acabou a superinflação, a situação melhorou. Mas ainda assim era difícil ver alguém no auge da criatividade. Quem vinha pra cá eram artistas que tinham lançado seus melhores discos 10, 15, 30 anos antes de pisarem no Brasil. A frequência de bons shows começou a aumentar devagarzinho. Mas ainda eram raras as visitas de bandas estrangeiras legais e atuais. Tinha um festival realmente bacana, o Free Jazz. A Bjork se apresentou em 96. O Massive Attack, em 98. E às vezes tinha alguma coisa no Sesc Pompeia.

Hoje a nossa moeda está (super) valorizada. E os artistas precisam fazer shows incessantemente porque as vendas de discos estão (e vão continuar) ruins. Nunca achei que eu fosse pensar nisso, mas o toró de shows é forte demais. Não dá pra acompanhar. O The National lançou disco aclamado no ano passado, foi uma das atrações prestigiadas no maior festival de música americano. Algumas semanas antes de se apresentarem no Coachella eles estiveram aqui. E já é a segunda vez! O LCD Soundsystem (essa sim uma das bandas mais importantes do século, seja lá o que isso signifique, e não o Kings of Leon, como vi escrito por aí) veio quatro vezes durante a vida de apenas 10 anos e três discos. Fui em uma só, mas queria ter ido em todas. Minhas crises de Fomo (fear of missing out) vão ser agudas.

Deixe um comentário

Arquivado em Bjork, Fear of missing out, LCD Soundsystem, Música, Queen, The National

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s