Copacabana

Copacabana. Marc Fitoussi. Tenho um certo problema com atores consagrados. Sempre que vejo um filme deles acho difícil dissociá-los de seus personagens, e daí acabo entrando menos na ideia do filme. Penso mais ou menos assim: “ah, agora o Philip Seymour Hoffman vai brigar com a irmã”. Quando o ator aparece na minha mente e não o personagem isso significa que fiquei com um pé atrás, e isso não é bom. Para usar uma expressão que um amigo meu escreveu, a “suspensão da realidade”, condição para que a gente possa gostar de um filme, fica comprometida.

Mas a Isabelle Hupert não é só uma atriz consagrada. Ela é uma atriz perfeita. E consegue carregar esse Copacabana muito bem.

A história é de uma hippie velha, meio porra louca, que tenta se enquadrar numa vida certinha. É uma comédia de situações – a hippie velha faz umas bobagens, umas pataquadas, mas ela é boazinha, etc. A diferença desse filme para um filme bobinho é que com a melhor atriz do mundo na tela a gente fica com a sensação de que o filme transcende a comédia de situações. Enfim, recomendo.

Deixe um comentário

Arquivado em Cinema, Copacabana

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s