Shoplifters of the world, unite

Arrastão em condomínio de luxo virou moda em São Paulo. Os ladrões,geralmente, são organizados, experientes e “profissionais”. A Folha de hoje noticia um caso desses num condomínio fechado no Morumbi. No pé, tem uma entrevista com o Guaracy Mingardi.

O Guaracy Mingardi costuma saber do que fala. Ele foi um dos primeiros acadêmicos a estudar criminalidade – na época em que ele escolheu esse tema, as universidades viravam a cara para o assunto. Depois de um tempo, ele fez uma coisa que pouquíssimos pesquisadores fazem: foi trabalhar como tira. E desse jeito conheceu como funcionava mesmo a polícia. Se ele diz alguma coisa, deve ser verdade.

Mas não é necessário concordar com ele. Por exemplo, hoje, no jornal, ele solta a seguinte: (…) há uma mistificação sobre segurança. Você põe câmera e não sabe se ela está funcionando, se ela filma direito, se a imagem está sendo transmitida para uma central. Se não, os caras vêm e roubam o computador que as armazenam também.

Não existe bandido organizado, que fala por radiocomunicadores. Se para esses a câmera é inócua, para os desorganizados uma câmera pode ser cabal para desistir de roubar.

1 comentário

Arquivado em Guaracy Mingardi, Jornalismo, Polícia, São Paulo

Uma resposta para “Shoplifters of the world, unite

  1. Parabens pelo blog.

    Com referência a abordagem sobre os arrastões nos condomínios, venho colaborar com uma experiencia de 20 anos em segurança condominial.
    1. A mídia e entrevista com leigos invariavelmente centram o foco nos recursos tecnologicos instalados e a errônea impressão que estes seriam o suficiente para eliminar a ameaça dos “arrastões”.
    Nota: No mundo ainda não conseguiram tirar o “japonezinho faixa preta” do interior das câmeras.
    2. Sistemas de segurança estão aopiados no trinomio: recursos tecnologicos, recursos humanos e recursos organizacionais.
    3. Todos os sistemas devem ser gerenciados para as condições de risco, crise e continuidade das atividas de rotina.
    4. Identifico as falhas de gerenciamento como o principal responsável pela elevação do risco e perdas. A principal perda é a qualidade de vida nos empreendimentos.
    5. A segurança é um meio para a obtenção da qualidade de vida e nunca um fim.

    Condomínios que contam com suporte de consultores independentes (sem vinculo com mão de obra ou fornecedores de equipamentos) têm apesentado resultados na confiabilidade dos sistemas de segurança em índices superiores a 95%.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s