Bateram duro no rapaz

Vi o documentário do Wilson Simonal. Algumas coisas: acho que ele já acabaria normalmente, sem levar em conta toda a história de ele ser cagüeta ou não. O tempo seleciona os bons artistas. O Jorge Ben ficou. O Tim Maia também. O Simonal foi esquecido. Não adianta dizer, como o Miele disse, que tecnicamente ele era melhor. Quem liga para técnica é técnico. Só. Mas algo realmente me incomodou. Todos os entrevistados, alguns em tom de mea culpa, falam que a esquerda era intransigente. E os torturadores da direita? Eram muito razoáveis? Abertos ao diálogo? Só lembrando, eram amigos do Simonal.

8 Comentários

Arquivado em Cinema

8 Respostas para “Bateram duro no rapaz

  1. Permita-me desafiá-lo a citar um nome, um único nomezinho de alguém que tenha sido delatado pelo Simonal. Mas, SEM ACHISMOS, POR FAVOR.

    Não sei qual a sua ideologia de vida, apenas sei que o que você diz vai de encontro a tudo o que acredito. Portanto, lanço o desafio, afinal, debate é isso mesmo, aceitar a provocação (no melhor sentido da palavra) pelo gosto de discutir. É cômodo repetir o que a maioria quer ouvir e muitos evitam expor o que realmente pensam para não se comprometer – é a tal da política da boa vizinhança.

    A propósito, para que esta discussão seja proveitosa a ambas as partes e resulte em algum aprendizado, desde já informo que sou apenas uma brasileira que ama este país. Portanto, espero não ser rotulada de direitista, esquerdista, comunista, reacionária, ou qualquer coisa do gênero.

    Devemos nos dar o direito de mudar de idéia quando necessário, ou quando estamos equivocados porque as opiniões contrárias às nossas são as que realmente fazem pensar (claro, se bem argumentadas e fundamentadas). A internet é um espaço democrático, porém, bom senso cabe em qualquer lugar, as pessoas deveriam ter um pouquinho mais de cautela ao manifestar opiniões sem qualquer embasamento.

  2. Olá.

    Olha, eu não disse que o Simonal cagüetou alguém. Queria salientar nesse post que o Simonal era medíocre – muito pior do que o Jorge Ben ou o Gilberto Gil ou inúmeros outros.

    O que escrevi em relação ao é o que mostram no filme: ele tinha amigos entre os torturadores, tanto que levou o contador dele para apanhar dentro de um batalhão.

    É isso.

  3. Caro Gutierrez
    Você AFIRMA que “Simonal era medíocre”. Segundo o dicionário Houaiss, medíocre significa “de qualidade média, comum, mediano, inexpressivo, sem originalidade, pobre, passável, pessoa pouco capaz ou sem qualquer talento que não consegue ultrapassar ou mesmo atingir a média”…

    Ok! Esta é sua opinião sobre Wilson Simonal e deve ser respeitada, afinal, você tem o direito de manifestá-la. Porém, desconfio que há outras opiniões LIGEIRAMENTE mais importantes do que a sua:

    ”O fenômeno Simonal mostrou a cultura secreta brasileira, realizou o futuro no presente. E o que é melhor, Simonal sabe o que está fazendo, não tem medo e provou que é realmente doutor em música.” MAESTRO TOM JOBIM

    “Simonal tinha um talento singular. Trabalhar com ele foi uma grande escola para todos nós. Fazia uma música pop, de penetração em todas as camadas sociais, leve, alegre e de uma qualidade absurda. O disco tinha o mesmo cuidado que era passado para o palco. Simonal sempre soube muito bem o que queria fazer e tinha um tino artístico e profissional muito forte.” CÉSAR CAMARGO MARIANO

    “Muita gente tinha inveja do Simonal porque ele era um crioulo de muita cultura e o maior cantor do país.” NONATO BUZAR

    Vou parar por aqui… nem vou citar os elogios rasgados de QUINCY JONES, HENRY MANCINI, STEVIE WONDER, SARAH VAUGHAN, entre outros. Quem sabe algum dia o brasileiro aprenda a valorizar o que é nosso, né!

    Não há qualquer verdade em tudo o que foi dito contra Wilson Simonal ao longo de mais de três décadas, o suposto envolvimento com a repressão já está mais do que esclarecido. Simonal foi desmoralizado porque a mídia promoveu uma campanha sórdida contra ele. O próprio Jaguar já admitiu que “talvez tenha cometido um engano”, mas que está muito velho para rever posições: “Foi um impulso meu, ele era tido como dedo-duro”.
    O depoimento dos policiais não passou de mentiras para livrar a cara deles mesmos, que, envolvidos na questão do contador, precisavam justificar porque utilizaram as dependências do DOPS. O inspetor Mário Borges, em sua defesa, mentiu em juízo ao dizer que “interrogou” Rafael Viviane porque Simonal era um informante e por isso “acreditou” ser o preso um terrorista perigoso. Entretanto, o superior dele, o inspetor Vasconcelos, DESMENTIU o testemunho do policial, mas, este depoimento, apesar de constar no processo (3450), ESTRANHAMENTE não ganhou as páginas dos jornais (não era notícia quente). Wilson Simonal cansou de repetir isso, mas, alguém lhe deu ouvidos?

    Ninguém aqui está dizendo que Simonal era santo. Ele cometeu um erro quando se envolveu no caso com o contador, mas, foi processado, condenado e cumpriu a pena, pagou sua dívida com a sociedade. Porém, as coisas não foram tão simples, ele deu a munição necessária para os que queriam vê-lo pelas costas –a mídia e a classe artística. Era tudo o que queriam, um motivo, um deslize, uma pisada em falso, pois não suportavam ver um negro num posto tão alto, o de MAIOR CANTOR DO BRASIL (apesar de você não concordar).

    Simonal incomodava muita gente porque se negava a dizer amém à sociedade racista da época. O Brasil sempre foi um país hipócrita, não se iluda, nada mudou, a diferença daquela época para os dias atuais é que agora, além de ser crime, o racismo também é “politicamente incorreto”, o que não o elimina, apenas camufla. Naquela época o preconceito era explícito, o que era normal, o estranho era alguém agir diferente. Imagine um negão boa pinta andando por aí de nariz empinado, todo cheio de si a bordo de carrões e derretendo o coração das ‘lourinhas de família’, era um sacrilégio, a sociedade não engolia.

    Você já deve ter lido ou ouvido dizerem que Simonal era arrogante, metido. E daí, isso é crime? Não destoava em nada de muitos outros artistas a não ser por uma enorme diferença: ele cometeu o pecado de nascer negro. Se fosse branco, certamente não diriam isso. Estava mais do que certo, tinha de se armar contra os que não admitiam que um negro nascido numa favela, chegasse lá. E, além do mais, ele podia ser empinado, afinal, não é qualquer um que consegue ser O MAIOR CANTOR de um país tão grande. Ele incomodou sim, arrebatou multidões e alardeou seu talento aos quatro cantos… imperdoável.
    Abraços.

  4. Ê-hein. Peralá. Não me importo nadica se ele era negro ou não. Isso, para mim, é completamente irrelevante.

  5. Meire,

    Sim, são opiniões mais embasadas do que a minha. Não entendo nada dos aspectos técnicos ou formais de música. E pelo que vi no filme, ele era muito competente nesse aspecto. Mas isso, pra mim, não conta nada. O Bob Dylan não é afinado. O Chico Buarque também não. Mas tenho a impressão que esses são artistas muito mais relevantes.

  6. ivi

    amanhã eu vou passear cas muié, quer ir?

  7. Carlos

    A Direita quer fabricar mártires que não teve, então fica remoendo esta história do Simonal, que se não delatou ninguém, utilizou-se da sua intimidade com o aparelho de repressão para torturar um desafeto privado. Ou seja, ele não era um fanático, só um aproveitador…será que isso é melhor? Francamente, seria bom que a Direita se lembrasse da frase de um conservador lúcido, Balzac, que dizia: “talento não é caráter”.

  8. Joh

    Bem, já eu acho (friso, “acho”) o Wilson Simonal muito mais relevante do que o Bob Dylan.

    Não é mera questão técnica de “ser afinado ou não”. É questão de colocar a alma na música, como Chico Buarque e Bob Dylan também o fizeram.

    Com o diferencial que o Wilson Simonal sempre tocou numa realidade muito mais próxima da minha, coisa que o Bob Dylan não faz – gosto dele, mas toca em muitas questões exclusivas daquele folk americano, acho um artista muito distante da constituição do povo de cá – e não é por ser estrangeiro, os Beatles também eram e foram muito mais universais nesse sentido.

    Digo, distante em termos, pois é óbvio que a contracultura americana e a mundial estão definitivamente ligadas, mas a influência do Bob Dylan foi mais indireta nesse sentido. E só pensar na constituição da nossa realidade de fora pra dentro é tolice.

    Simonal foi tão importante na constituição da música brasileira (à época) quanto o Chico. Não se esqueça que destruir/apagar a história faz parte de qualquer processo de desmoralização, e com o Simonal não foi diferente. Excluído até mesmo da história pra nós, nascidos nos anos 80, fica a impressão de que ele não era tão importante assim. Graças a Deus tenho uma família que nunca esqueceu dele, e pude conhecer esse grande artista.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s